Cicero Heraldo Novaes
Presidente da CDL

Quando analisamos a origem das crises no Brasil, que já são seis após o regime militar, nos deparamos com uma raiz única que se perpetua e forma um constante círculo vicioso, levando sempre ao aparecimento de outra.

A razão de tais situações é que, sempre que ocorrem se acerta um pacto para a solução do problema, sem que se resolvam as causas.

Desta vez está muito mais difícil porque o componente político se mostra como um enorme complicador, evitando que se ache uma solução coerente para a adversidade.

A estrutura política do Brasil é totalmente antidemocrática. Como podemos cobrar dos nossos representantes uma postura favorável aos anseios da população, se eles não foram eleitos mediante uma cobrança distrital? Como manter um relacionamento sadio com 35 partidos aprovados pelo TSE, que em sua grande maioria não têm ideologia e fazem parte da base de apoio de quem ganha?

Esta distorção é a principal causa da continuidade da crise atual. Nossos líderes políticos estão atolados em um ambiente antiético, corrupto, oportunista e sem comprometimento, portanto não podem acusar, sem também serem acusados e estão impedidos moralmente de fazer um acordo, que encerre a crise econômica e permita que nosso país siga em frente.

Temos hoje uma inversão de poder muito séria e que precisa ser mudada. Quem produz e trabalha, quem paga os impostos e gera empregos, não tem influência sobre o planejamento e a condução do país.

Nossos recursos são usados de maneira incompetente ou a favor de grupos escolhidos e também como forma de um continuísmo crescente de dominação, provocando uma dependência crescente da população de baixa renda, por programas de ajuda, em troca de votos.

Quando a livre iniciativa existe na medida certa e é objeto de carinho e incentivo por parte dos governantes, o país se desenvolve com competência e qualidade de vida, dando a oportunidade a todos para prosperar, portanto é preciso sair de nossa zona de conforto e lutar para fazer o que precisa ser feito e para mudar o que precisa ser mudado.

Quando começamos a olhar nos olhos de nossos Associados, de empresários e trabalhadores e enxergamos a aflição, a falta de brilho, de alegria, de vontade de viver, a letargia e a resignação de que não há o que fazer, mesmo sabendo que a culpa do que estamos enfrentando é do governo e dos políticos, entendemos que era chegada a hora de fazer um movimento. Era preciso criar alguma coisa que fosse permanente e representasse esta desilusão presente no amago do povo trabalhador. Lembramos assim, do texto do criador da psicanálise, Sigmund Freud, intitulado Luto e Melancolia, onde ele mostra que as duas palavras são sinônimas e exprimem os sentimentos daqueles que perderam alguém por quem tinham amor, um emprego, um relacionamento ou a esperança em um país.

A CDL resolveu então lançar o embrião de uma campanha, que não é somente dela, mas de todos os brasileiros, intitulada “Do Luto para a Luta”. Esperamos ajudar na tomada de decisão para reverter a crise instalada e voltar a poder nos preocupar com a saúde de nossas empresas e de nosso país.


Elencamos como alvo cinco problemas que não aceitamos mais:

1-Aumento de impostos

2-Corrupção

3-Injustiça

4-Burocracia e

5-Incompetência.


Estas são as principais metas que estamos perseguindo em nossa campanha e que acreditamos que sejam as causadoras de todos estes males sobre nossos negócios.

Estamos enviando uma mensagem que será afixada em todas as fachadas, nas vitrines, nos veículos e no peito de todos nós, a todos os políticos que nos representam, cobrando que façam sua obrigação que é pensar no país e resolver a crise de forma certa.

Se isto não ocorrer, vamos começar a cobrar de forma intensiva, através de ações orquestradas, de todos os brasileiros que aderirem à luta. E vamos informar a eles que seu futuro político estará comprometido, se não fizerem seu dever, porque ninguém estará disposto a reconduzi-los aos seus cargos.

Pedimos a todas as CDLs, as associações, aos sindicatos e ao povo brasileiro que adotem esta campanha ou que façam sua adesão, através de nosso site www.cdludi.org.br, “campanha luto pelo nosso Brasil” e ajudem a todos nós a terem a voz que precisamos, para cobrar o que é justo.